terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Mission quase impossivel.


A vida passa, os dias passam, as horas passam, os segundos passam, os momentos passam e a ocasiões que damos por nos a pensar, " Será que nunca podemos ter todo ao mesmo tempo?"  Pois assim é a vida, ter tudo no mesmo tempo é uma missão quase impossível. Eu sou uma pessoa que precisa dum motor muito particular, sentir a vida em toda sua totalidade. Sim, arrepiar-me por um olhar, rir ao ver uma criança a sorrir, sentir-me viva pelo vento que minha cara sente... Meu motor é o amor pela vida, minha necessidade de viver, saber que bem o mal foi o que escolhi, que não fiquei parada a espera do que me pode acontecer e sim lutar pelo que quero que me aconteça. As vezes sem saber bem porque escolhemos um caminho e depois dum tempo reparamos nas razões para tal ter acontecido. Bem, sente, respira e decide. Pensar muito nas coisas não me aportar essa adrenalina que o imprevisto da vida me proporciona. Ouvir essa voz interior que diz coisas muitas vezes tolas num primeiro momento mais que depois as assumes com clareza. Sim, vivo, siento e arrisco pelo que vale a pena, pelo que da velocidade a meu motor e pelo que minha voz indica, por tanto sim, arriscarei e arrisco.