quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Falando com a minha alma



Deitada, na escuridão, com olhar perdido no vazio e imensidão do meu mundo, seja no quarto,na sala ou na praia a olhar para o infinito.. Para esse infinito onde as coisas tem meu sentido, onde a minha verdade não me deixa fugir e onde ai, sim, falo, me expresso e sem medo desnudo a minha alma... Essa pequena coisa que é a pureza da nossa essência, onde pouquíssima gente tem acesso e a qual fica cada dia que passa mais inalcanzavel para este sitio chamado de mundo. 
Falo para o nada,mais não com palavras, nem com gesto, com nada dito tangível, pois isso já não se consegue... Falo com meu olhar, com uma lágrima que possa fugir, um sorriso o simplesmente um pequeno tremor na boca... Nesses momentos o olhar brilha, o sorriso brilha e cima de todo, a alma brilha, pois a conseguimos ver, sentir a dizer que somos únicos e que a temos. Tantas vezes que ela fala para nos, que muitas vezes tentamos ofuscar com outras coisas, pois fica muito mais fácil, mas nesse momento tão nosso, só nos estamos connosco próprias. 
Fala, diz aqueles medos que nos temos, aquelas coisas que mexem connosco...Lembra, lembra para nós proteger, para tentar aprender com as coisas passadas... Mais cima de tudo me grita para VIVER! Saber dar a volta aqueles vazios que a vida nos da, para que os medos se quedem ali, no passado pois nunca nos pode quitar o futuro...
Com capas a tentamos proteger, com barreiras que só com paciência as conseguem passar, fica fora dos limites de pessoas vulgares. Sem paciência nem vontade para pessoas de passagem... 
A minha alma, é a pureza e a essência da minha verdade e agora, aqui, vou-me deitar pa voltar a encontrar-me com ela e falar.