segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Quantas vezes...


Quantas vezes paramos e pensamos realmente na nossa vida? Quantas vezes as pessoas tentam solucionar os problemas dos outros, achando que assim não se tem de preocupar pelos seu? Bem, uma vez que os ajudes a resolver os teus ainda la estão como os deixas-te o ainda pior...
Eu, tenho por costume analisar a minha vida, o meu redor, meu interior muitas vezes, me atrevo a dizer diariamente... Isso não implica descuidar os problemas da minha gente, nem muito menos, mas como eu me digo a mim mesma "Como podemos ajudar aos outros si nós não estamos bem?"
Tenho um varalho de cartas na minha mão durante toda um vida, a momentos nos quais erramos em usar algumas cartas, em deitar outras para fora o simplesmente deixar-las para a próxima vez... Eu já faz um tempo que não arrisco, que ficou em meu canto, deixe-me estar... 
Achou que foi o correcto, e continua a ser, a minha vida é demasiada atribulada para meter mas "risco " a meio... Sou de arriscar por natureza, mesmo estando cheia de medo sempre o faço, mas as vezes alguém la cima da-me uma luz e faz estar quieta, riscar pessoas com uma facilidade increivel, como si nunca tivessem existido... Deixar entrarem outras sem dar por ela, mas de tudo e todos aprendo coisas... 
Tenho a dificuldade de me dar, quando o faço, o dou mesmo, seja amizade,seja amor, mas... Mas quando algo me diz para tirar, o faço radicalmente. As vezes vai devagar, outras vezes nem hesito e tirou logo... 
Tão pouca gente que me conhece! Si as pessoas soubessem como eu sou realmente, muita gente ia mudar a opinião o ideia que tem de mim, mas sinceramente, a estas alturas da minha vida não me dou o trabalho disso...
Quem me conhece também se surpreende com minhas atitudes as vezes, como não fazer até quando eu própria o faço!...Eu muitas vezes digo que sou muito espontânea nas minhas reacções, mas as maiores loucuras realizadas por mim, sempre foram pensadas.. Tanto faz que soubesse que ia dar contra parede, que podia me magoar, que podia dar todo errado, as grandes decisões da minha vida, sempre foram pensadas. O meu maior defeito, ou virtude, depende do ponto de vista, é fazer tudo pelo que o coração me diz... Não vou mentir dizendo que o faço sem pensar nas consequências, pois penso sempre, mas direi sim, que o faço porque o demais não consigo ser eu... Seria uma versão descafeinada de mim, seria uma versão que no instante que tomasse essa atitude, sentiria a necessidade da mudar para o que o coração diz, pois meu coração é quem manda respirar... Sou uma pessoa que faz tudo por paixão a vida, a minha vida, pode ser melhor o pior que a de algumas pessoas, mas é a minha vida e essa, sou eu quem escreve as linhas.