domingo, 4 de dezembro de 2011

Deixas-te uma frase em meu telemóvel!


Não te conheço pessoalmente, não sei teu nome, não sei de onde és, mas hoje, hoje sonhe contigo! Aqueles olhos e sorriso, ficou gravado na minha memoria, teu toque e teu jeito de abordar... De pegares comigo, entrares numa brincadeira que só as duas ficamos a perceber... Rodeada de amigos e só tu eras quem eu não conhecia...
Viste-me dançar, completamente submersa na minha musica, de longe, a rir-te e pegando na minha mão para me levares a beira do grupo de amigos... Aí, começamos a falar de nos, a ver que tínhamos muitas coisas em comum, não retive o teu nome, mas sim a idade, lembro-me que riamos muito, mesmo, ao ponto que as outras pessoas olhavam para tentarem perceber o que se passava e tentarem unir-se a brincadeira... Mas ninguém deu o passo de vierem ao nosso pé, tu com aquele jeito, sabendo meus pontos fracos, em meio da multidão da rua,pegas-te e deste-me um beijo..Meu Deus, perdemos a noção do sitio, das pessoas e dos olhares... Simplesmente deixamo-nos levar pelo que os nossos olhos estavam a pedir e simplesmente amei...
Ao nós separar vimos nossos amigos colados a olhar, a nada perceber, uns chateados, outros supressos mas não ligamos a isso... Simplesmente sorrimos e continuamos a caminhar para nós juntarmos a eles... Continuamos a conversar com apenas uma certeza, íamos a nós voltar encontrar... 
Eu a falar com alguém que o queria fazer nessa hora, sem saber bem o porque disso, mas sem ter muito tempo pois tinha dir, nesse momento foi só um abraço a pessoa e um leve beijo para ti... Deixas-te uma frase em meu telemóvel, a falta de poderes falar pelo teu que devido de ter ficado em casa, que olhe e só abanava a cabeça com um grande sorriso, diz-te um "até logo" baixinho ao ouvido e foi com meus amigos... Mas terminas-te de arranjar jeito de me ligar, falares dois minutos e dizes-te as palavras certas, tão certas que foi a teu encontro levando-te comigo... Tinha uma certeza, a mesma que tu tinhas e dizes-te, querias mas, precisavas de estar comigo  sem saberes o porque, simplesmente precisávamos de nós, da ligação que se crio em aquele bar ao dançar, de aquele olhar abismado das duas na conversa... 
Conheci o amor da minha vida num sonho, e agora? Como farei para saber em que corpo te achar?Como farei para saber si realmente existes? Senti muita coisa, tanto sobre ti, sobre a gente que tava ao redor... Mas cima de tudo, ficou gravado que estas aí,  não muito longe, e que em breve, certamente, apareceras do nada e me voltaras a fazer perder a cabeça com a tua só presença...