quinta-feira, 26 de maio de 2011

A criança que á em mim



Em que momento será que eu cresci? Quando foi que eu saí do banco de trás e passei a dirigir minha própria vida?
Crescer me faz perceber que sou uma eterna aprendiz da vida, e que a cada dia descubro um sentimento novo, desvendo meus próprios mistérios, questionando meu eterno antagonismo. Eu cresci! Aprendi que um longo abraço resolve qualquer mal entendido, que o silêncio é a melhor reflexão, que um sorriso é o melhor alimento da alma, que uma palavra todo pode mudar...
Aprendi que amigos sinceros, apesar de raros, ainda existem. Que fazer o que gosta é libertador. Eu cresci e aprendi a não viver mais no singular. Aprendi que almoço no plural é mais saboroso. Assistir filme no plural é mais divertido. Conquistas no plural tem muito mais gosto de vitória.
É eu cresci, mas ainda quero a vida cheia de algodão doce, brigadeiro e cartinhas enfeitadas com corações e estrelinhas. Brincar com balões de agua, jogar a bola na praia, cantar em plena rua como si mais ninguém nos ouvisse. Tirar fotografias fazendo palhaçada, rir-me até as lágrimas caírem dos olhos, saltar nas poças de agua os dias de chuva...
Eu quero continuar a cultivar a criança que tenho dentro de mim, e me lembrar todos os dias, que todo o que seja compartido com alguém que amamos, seja amigo, familiar o enamorado/a, sabe muito melhor que si esse momento ficasse só com nos...