segunda-feira, 6 de junho de 2011

Ficção..


As horas passam, a tarde vai embora, mas ela ainda permanece sentada naquele banco do parque. Folhando o aquilo que é a única prova que realmente o amor deles existiu. Sua mente viaja para um mundo longe, tentando recuperar o que lhe foi roubado, sua felicidade. Vendo que sua busca é em vão, sua mente volta a habitar novamente seu corpo. E mais uma vez ela volta ao início do álbum. Na primeira foto, o lugar e a legenda é o que mais mexe com ela, o ambiente onde foi tirada a foto, era justamente aquele banco, e a legenda era exactamente de um mês atrás. Daquela foto em diante as lágrimas voltam a cair, ela as limpa, mas a saudade impede que elas parem de escorrer. A noite chega, e ela decide ir embora, mas sabe que amanhã irá voltar.